Posted on

Não roube a minha idéia, como inovar com Tecnologia da Informação

Recomendo para todos que participam dessa indústria assistirem ao filme O triunfo dos nerds, a história da computação (filme), principalmente programadores visionários, é um prato cheio para entender os grandes acontecimentos que levaram empresas ao sucesso e ao fracasso. Como a inovação, computador pessoal e interface gráfica com janelas e mouse, criada em 1970 nos laboratórios da XEROX, por mentes brilhantes da computação foi ignorada por seus executivos e roubada por Steve Jobs, que admite na cara de pau que roubou as idéias quando viu o protótipo em visita ao laboratório, “bons artistas copiam, grandes artistas roubam” diz Jobs, citando Picasso. Não demorou muito para Gates perceber a vantagem dessa inovação e roubá-la também e adaptá-la ao DOS, como não é possível patentar interfaces gráficas essa inovação não pode render um processo para nenhuma empresa.

O filme conta a história dessa indústria, desde os primeiros computadores, como o Altair 8080 e passa por todos os grandes lançamentos de produtos comerciais para o grande público, como o Windows 95, que revolucionou o mercado e colocou Bill Gates como o homem mais rico do mundo. Fala do acordo da Microsoft com a IBM nos início dos anos 80 e do espetacular crescimento desta parceira, para o então rompimento por parte da Microsoft, que retirou a IBM do jogo e fez com que a empresa de Gates conseguisse dominar o mercado de sistemas operacionais, não graças ao DOS, mas as killers aplications, programas que por si só fariam as pessoas comprarem “a caixa toda”, computador e windows só para rodar programas como o Lotus 1-2-3.

A melhor parte fica para a última entrevista, depois de horas de filme sobre a história e o passado do computador um profeta entra em cena, Larry Ellison, da Oracle, uma pessoa que eu ainda não sei muito quem é, mas vou procurar conhecer sua biografia, devido a sua brilhante e acertiva previsão, feita há mais de 10 anos, ganhou meu respeito a admiração. Ele falou tão bem que não vou nem interpretar suas palavra, vou colocar na sequência algumas de suas falas transcritas do filme, “não devemos nos preocupar com a dominação mundial da Microsoft, ainda há espaço para inovação e o futuro da Microsoft não é garantido”, “a internet não precisa de um PC”, “Larry acredita que o PC será substitudo por um aparelho chamado de utensílio de informação, será uma televisão esplendorosa que acessará informações e computadores simplesmente acessando computadores gigantes por meio da internet. Como abrir uma torneira, o PC fará a parte do poço e do balde” (narrador), “coloque as coisas na internet, são bits, não ponhas bits numa caixas, caixas em caminhões, caminhões na loja, eu indo para a loja, pegando a caixa, é loucura, eu amo a internet. Eu quero as informações fluindo por cabos”.

Esse cara estava certo, falou isso em meados dos anos 90, somente hoje, em 2013, estamos vivendo a revolução vista por ele, a chamada era pós-PC, devido ao surgimento dos dispositivos móveis com acesso a internet, os tradicionais computadores estão perdendo terreno. As previsões dele são geniais, todas certas, incluindo os recentes lançamentos dos últimos 2 anos, as smart TVs, ele já sabia naquela época que isso iria acontecer, só não sabia quando.

Do mesmo jeito que existia espaço para inovação 10 anos atrás, ainda existe hoje e sempre vai existir, a grande companhia que dominava o mercado era a Microsoft, hoje a Google. Para surgir o PC como conhecemos hoje, foi necessário contratar os melhores cientistas e um programa de investimento em pesquisa sem fins comerciais, ou seja, dinheiro gasto para pesquisadores imaginarem livremente o futuro da indústria e criarem protótipos de produtos. Foram necessários quase 50 pesquisadores nos laboratórios da XEROX durante alguns anos para criarem os computadores que hoje temos nas nossas casas, pesquisa essa fruto do medo dessa mesma empresa das pessoas pararem de utilizar papel.

A minha leitura no filme foi tentar entender um pouco melhor sobre como se chega a inovação, quais são os elementos que permitiram o surgimento desta. Uma coisa é certa, os Estados Unidos são o berço dessa revolução, com certeza a situação financeira daquele, proporciona um terreno mais fértil, será que no Brasil, algum dia, teremos um grande pesquisador que ditará os rumos da indústria da computação ou seguiremos comprando sucata dos países desenvolvidos, será que nossa vocação é agrária e quem está na área da informática “pura” por aqui pode ser considerado louco? Uma coisa é certa, muitas novidades estão por vir, quem arrisca dizer qual o futuro da indústria dos computadores?

https://www.youtube.com/watch?v=A1xZeGQxdew